O tempero da vida





Um amigo bastante querido queixava-se da vida. Dizia ele que havia perdido o gosto pela maioria das coisas que antes o enchiam de prazer - não tinha mais gosto pela profissão, os compromissos eram todos insossos, a rotina enfadonha e a maioria das pessoas indigestas - o que lhe causava um verdadeiro mal-estar. Após horas de conversa franca, como só os bons amigos são capazes de oferecer e partilhar, concluímos que o que faltava na sua vida era tempero. Sobrava capacidade inventiva, mas a criatividade estava encoberta por uma grossa camada de desgosto. Os ingredientes estavam todos ali, mas pediam uma pitada diferente para ressaltar o sabor.

Até sabemos o que adoça ou azeda os nossos dias, mas diante de inúmeras possibilidades não é tão simples trabalhar diariamente o que aguça o nosso gosto em viver. E o desafio vai além: é preciso continuar nutrindo e mantendo o frescor daquilo que nos cai bem. Requer alguns experimentos, combinações previsíveis ou mais exóticas. Não tem receita exata porque o paladar também varia – como nós que nos descobrimos diferentes ao longo do tempo.

Como temperar a vida a gosto? A família, os amigos, os amores, o trabalho, o lazer são ingredientes básicos – e os problemas também entram para engrossar o caldo. Haja saúde e discernimento. Os ganhos são proporcionais às formas que alimentamos esses diferentes setores. Se o amor apimenta, as amizades adoçam – da mesma forma que dedicar-se a algo que lhe encanta dá um toque refinado e especial aos dias. Já ouviu falar que pessoas interessadas costumam ser pessoas interessantes?

Você é o grande gourmet do próprio banquete. Escolha o tempero de sua preferência e descubra qual sabor quer que se sobressaia. O importante é tornar a vida mais palatável, seja descobrindo novos lugares, conhecendonovas pessoas, trocando receitas ou experimentando diferentes prazeres. Não perca a capacidade de se surpreender. A gastronomia e a vida são universos semelhantes de encantamento, só precisamos estar abertos para degustá-los com vontade. Ora com delicadeza, ora com voracidade.

Faça o que você gosta e então o que deve ser feito estará feito. Viva longe de culpas – sentimento de culpa é uma invenção criada pelo homem, apenas para justificarmos nossas más escolhas. Ou esconder nossos desejos reais e mais genuínos.

Deleite-se em todos os momentos para que nenhum sabor lhe escape. Vale testar novos pratos, errar a mão vez em quando também é permitido – é tudo reflexo de como estamos no momento e sinal de que seguimos tentando. Faça bom proveito. Doce, agridoce, com ou sem pimenta, uma coisa é certa: a vida foi feita para você se lambuzar. 

6 comentários:

  1. Do sal das lágrimas até a doçura da estampa dos sorrisos. A vida é feita disso: de muito paladar. Só precisamos apurá-lo ao nosso modo, temperando-o até adquirir o melhor sabor.
    Abraços, feliz 2014.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela mensagem. Que venham os sabores de 2014 e que sejam divinos! :)

      Abração.

      Excluir
  2. Adoro analogias dos mais variados méritos. Essa, certamente está tão saborosa quanto o tema em si. Era o que eu esperava ler nesse começo de ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba!

      Bóra se lambuzar neste novo ano, Brunno! Beijoca.

      Excluir
  3. Divulgue seu blog em nosso link de divulga blog grátis

    em: www.depoisqueeumudei.com

    e garanta muitos mais visitas em seu Blog.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário.

 
A Cronista © 2013 | Gabriela Gomes. Todos os direitos reservados.