NO ANALISTA III


Imagem: Corbis | Texto: Gabi Gomes


- Olá, Ana!
- Oi doutor, Carlos.
- Quanto tempo, não?
- Faz um tempinho sim.
- Satisfação em vê-la.
- Queria poder dizer o mesmo.
- Entendo.
- Não. Não é nada contigo, não.
- Tá tudo bem, Ana.
- É que gostar de ver médico é esquisito.
- Sim, sim. (risos)
- Ao menos eu acho.
- Não é só você, não.
- Que bom! (sorri)
- Pois é. (não sorri)
- Quer dizer, não deve ser assim tão bom pra você, mas...
- E então, o que lhe traz aqui novamente?
- A gente precisa falar mesmo disso, né?
- Seria bom.
- Hummm.
- E então?
- É o Mauro outra vez.
- O que tem ele?
- Doutor, meu marido mal olha pra mim!
- Ana, se acalme.
- Desculpe.
- Tudo bem.
- Eu não queria ter levantado a voz.
- Tá ok. Mas vocês discutiram?
- E mesmo que tivessemos não seria motivo. Ele mal me olha...
Com ar compadecido aguarda Ana retomar a fala:
- ... nunca mais me procurou pra...você sabe.
- Sexo?
- Sexo.
- Mas e você demonstra interesse?
- Ah! Mais ou menos. Gosto quando ele se mostra querendo, sabe...
- Sim.
- Não que seja um problema problemão. Afinal, a gente passou por cada barra...
- É, eu sei bem.
- Mas mulher também precisa dessas coisas. E mesmo não sendo um problema desses problemão, não deixa de ser um, entende?
- Problema ou problemão?
- Carlos, eu desconfio que o Mauro tenha outro!
- O Mauro com outro?
- Pshhhhiu. Fala baixo. O que o povo aí de fora vai pensar.
- Tá, tá. Mas o que você está me contanto parece tão...
- Nem me fala.
- E ele desconfia que você desconfia disso? (atrapalha-se com o bloco de anotações enquanto balança a perna esquerda, morde a ponta do lápis e arruma os óculos)
- Não sei responder. Mas ele tem chegado em casa muito tarde. Normalmente quando já tô dormindo. E além de tudo, sempre se diz cansado. Não temos nem mais fim de semana.
- Mas e ... Ana, você conhece esse outro? (engole seco)
- Acho que é Relações Públicas. Não tenho bem certeza.
- Como assim? Ele tá saindo com um Relações Públicas? (Pergunta sobressaltado)
- Deus o livre! Ele já é publicitário, arrumou emprego de RP, se virar gay aí sim que não saiu tão logo dessa maré desgraçada. Isola, doutor. Isola.

9 comentários:

  1. nossa to adorando acompanhar teu blog!!
    1000....!!!
    (sera que ele esta tendo um caso com o medico...)
    bjim
    becca

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk pobre ana!

    ResponderExcluir
  3. Eh... Depois disto estou chegando a conclusão que pior que ser traído, é ser traído por alguém do sexo oposto... rs...

    ResponderExcluir
  4. E o pior, pelo que transparece, é que a Ana não vai nem poder se enrolar com o médico, né?

    abs do nil

    ResponderExcluir
  5. Eu acho que Ana deve sofrer de algum distúrbio. Além de fazer que o marido mude de time, ainda deixa o médico suando frio. Hehehehehehe...

    Isso contado numa roda de amigos, seria exatamente desse jeito. A mulher que seria a errada.

    Mas, que o mundo tá perdido. Isso está. :)

    Beijos, cronista!!! :******

    ResponderExcluir
  6. Há uma graça e genialidade intrigante neste texto.

    Os diálogos, sempre presentes, dão um ar dramático.

    Me leva a ainda acreditar na arquitrama, na narrativa linear.

    ResponderExcluir
  7. HUSahuASHuHS, posso até estar tendo um pensamento horrível, mas pra mim esse Dr tá comendo o marido da Ana...hsuahsuhaus

    Só isso justificaria todo esse nervosismo...=P
    Credo, eu tenho uma mente que só eu mesma...haaushuahsuhaus

    Adorei esse post! Bjokas

    ResponderExcluir
  8. Ana my dear...
    Pega o médico!!!!!!
    rss

    ResponderExcluir
  9. eu tb achei que era o médico. mas enfim, a verdade nem a autora sabe.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário.

 
A Cronista © 2013 | Gabriela Gomes. Todos os direitos reservados.